A importância da Holding na formalização de CSC’s de grupos econômicos

No atual cenário empresarial brasileiro é bastante comum pensarmos em Holdings estáticas, com a única utilidade de deter cotas e/ou patrimônio, seja para proteção patrimonial, sucessão, ou até mesmo sem uma finalidade definida, porém o termo holding nasceu para designar empresas que tem por características, além de deter cotas ou ações, gerir, controlar e auxiliar suas controladas e/ou coligadas.

É bastante comum que grupos empresariais administrem conjuntamente alguns custos e despesas, em especial daquelas atividades chamadas atividades meio ou atividades suporte, como jurídico, contabilidade e marketing. O problema nesses casos é a falta de formalização ou até mesmo a insegurança acerca das práticas. Por vezes os gestores se deparam com aluguéis contratados integralmente por uma ou outra empresa do grupo para espaços que serão ocupados por mais de uma empresa, ou até mesmo empregados que trabalham sob demanda para múltiplas empresas mas possuem vínculo formal com apenas uma.

A solução para o problema acima pode estar em formalizar uma Holding, centralizando este CSC (Central de Serviços Compartilhada). Esta prática é bastante utilizada por grandes conglomerados, e já foi inclusive matéria apreciada recentemente pela Receita Federal, em que se posiciona por meio da possibilidade da dedução das despesas para cálculo do IRPJ e CSLL por meio da SC COSIT nº94-2019.

Quer saber mais sobre Holding? A Arquivo Contabilidade, em parceria com Menezes Niebuhr Advogados, convida você a participar do evento “Holding, desmistificada”, que irá acontecer no dia 4/12, às 14h, no auditório do K-PLATZ em Campinas/SJ. É só clicar no link abaixo e garantir sua inscrição:

https://www.sympla.com.br/holding-desmistificada__723814

Nos vemos lá!

Por Luiz Fernando Rodrigues, Diretor da Arquivo Contabilidade

 

Compartilhe essa notícia:
Paulo Redel2019-11-27T10:09:02+00:0027 de novembro de 2019|Sem categoria|